Os desafios econômicos recentes envolvem temas de maior relevância no debate público, como as mudanças climáticas, desigualdades de renda e de gênero, inflação, dinâmica capitalista pós-pandemia, crise e transformação energética, entre muitos outros. Além de se dedicar ao enfrentamento dessas questões, o ensino de Economia tem ainda a incumbência de estimular a prática da pluralidade nas análises e abordagens teóricas para uma geração de alunos profundamente imersa nas tecnologias da comunicação e da inteligência artificial. Diante desse panorama complexo, diversas instituições de ensino superior adotaram, nos últimos meses, reformulações dos currículos de Economia, incluindo a Instituição onde acontecerá o evento este ano (IE/UFRJ).

Para dialogar com profissionais e especialistas desses temas e desafios, a ANGE, o Cofecon, o Corecon-RJ e o Corecon-SP se propõem a organizar o XXXVIII Congresso da Associação Nacional de Cursos de Graduação com o tema: “Desafios para a o ensino de Economia no cenário pós-pandêmico”. Reafirmando o compromisso histórico da ANGE em zelar pelo pluralismo e pela reflexão crítica alicerçada na compreensão dos processos históricos e na abertura para o diálogo com as outras Ciências, apresentamos uma programação promovendo o debate sobre os desafios do ensino nos dias de hoje.

O que é a ANGE?

A ANGE surgiu como resultado do amplo processo de debate nacional acerca da reforma do currículo de economia de 1984, aprovada pela Resolução 11/84 do então Conselho Federal de Educação. Teve sua fundação em 1985 por ocasião do primeiro Congresso Brasileiro dos Cursos de Graduação em Economia. Desde então, anualmente realiza um Congresso nacional com o objetivo de debater a formação do economista frente aos desafios da Ciência Econômica e da profissão do Economista.

Em 2007, em conjunto com o sistema Corecons/Cofecon (Conselhos Regionais e Federal de Economia), a Federação Nacional de Economistas – FENECON, a Associação Nacional de Pós-graduação em Economia – ANPEC e a Sociedade Brasileira de Economia Política – SEP, a ANGE foi protagonista nos debates e na construção das atuais Diretrizes Curriculares para os cursos de Ciências Econômicas junto ao Conselho Nacional de Educação – CNE, participando da elaboração do documento base para a regulamentação dos cursos de economia em âmbito nacional.

As atividades da ANGE são norteadas pelo compromisso de elevar a qualidade do ensino de economia em todo o país. A preocupação central da Associação com a qualidade tem como foco o ensino de Ciências Econômicas referenciado no pluralismo científico, contemplando, com rigor e consistência, o debate e a diversidade de leituras e interpretações teóricas, metodológicas e analíticas do saber econômico. Buscando melhor desempenhar o seu papel, a ANGE incentiva a atualização de professores e profissionais de Economia, auxilia a montagem de matrizes curriculares, discute conteúdos de disciplinas, publica textos didáticos e de orientação acadêmica (Cadernos ANGE), organiza, promove e apoia Seminários e Encontros locais, estaduais, regionais e nacionais. Realiza, anualmente, um Congresso Nacional em que reúne coordenadores de cursos, professores, discentes e profissionais para o debate sobre ensino de Ciências Econômicas.

Objetivo do congresso

O encontro visa possibilitar o debate amplo sobre a formação do economista, envolvendo a participação de coordenadores, docentes convidados, discentes e demais interessados, assim como realizar o aprofundamento da reflexão sobre os temas fundamentais da Economia e da realidade do capitalismo contemporâneo.

Faça a sua inscrição para participar gratuitamente do congresso: https://forms.office.com/r/wqxnkTGqqa

Veja a programação aqui